terça-feira, 14 de abril de 2009

Ordem Rosa-Cruz e Maçonaria


Para promover a considerada “evolução 'inevitável', os líderes ocultistas na Europa e na América do Norte no fim do século XVIII começaram a executar um plano concebido na última década do século XVI pela rainha Elizabeth I e por Sir Francis Bacon, de estabelecer uma Nova Atlântida no Sétimo Continente da América do Norte.
Sir Francis Bacon e a rainha Elizabeth I figuram nos quadros da Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz – AMORC, e têm seus nomes relacionados com a criação da Maçonaria.A Ordem Rosa Cruz afirma ter suas origens nas antigas Escolas de Mistérios do Egito, a cerca de 4.000 anos, e é provável que eles possuam muitos dos conhecimentos repassados na Antiguidade sobre diversas ciências antes classificadas como ocultas, mas que o passar do tempo vem classificando como “modernas”.
Entretanto, o cômpito do calendário Rosacruz inicia-se em 1.353 a.C e a forma como a Rosa Cruz é instituída hoje seria resultado de algumas transformações, influenciadas inclusive pelo Cristianismo.
Diz-se que importantes membros da Rosa Cruz tiveram contato com os Essênios, que formavam uma das principais escolas secretas da Palestina do primeiro século e, na perspectiva da AMORC, Jesus teria sido membro deste grupo, que se concentrava ao redor do Monte Carmelo.
Os membros da escola essênia vestiam-se de branco e seguiam uma dieta vegetariana, como a ordem monástica cristã dos Carmelitas, conhecidos também como Monges Brancos. Estes monges afirmam abertamente que Jesus era essênio e foi criado no Monte Carmelo, ainda que as escrituras essênias sejam excluídas da Bíblia promulgada geralmente pela Igreja. Os essênios eram também conhecidos como nazarenos, sendo que Nazaré era um de seus redutos, e é importante notar que o termo “nazareno” era anterior ao nome do lugar.
Nazareno, em hebraico, significa sentinela, aquele que vigia ou, ainda, aquele que protege. A vigilância da conduta ética, religiosa e social era um dos preceitos mais fortes dos essênios ou “nazarenos”, também tidos como guardiães ou protetores de um importante conhecimento. Isto poderia justificar o por que de Jesus ter sido chamado, também, de Nazareno, apesar de os evangelhos dizerem que ele nasceu em Belém. Apenas para citar, quando perguntado sobre quando seria o tempo em que ele haveria de retornar, Jesus disse a seus discípulos: vigiai... que “eu virei como um ladrão”, ou seja, sem aviso, e deste modo era importante que as pessoas vigiassem sua conduta tal como faziam os nazarenos ou essênios.
Devido ao suposto contato com os Essênios e, conseqüentemente, com o Cristianismo, a Ordem Rosa Cruz assumiu características cristãs.
Mais tarde, por conta da Inquisição, duas importantes sociedades foram perseguidas pela Igreja Católica, acusadas de heresia – a ordem dos Cátaros e dos Templários. Ambas as sociedades afirmavam que Jesus teria deixado descendentes e até que não teria morrido na Cruz, mas curiosamente praticavam uma espécie de Cristianismo que, de forma alguma, agradava à Igreja.
Tanto os Cátaros quanto os Templários têm em torno de si lendas acerca de tesouros incalculáveis, valiosos demais para serem dignos de um homem. Especula-se que o tesouro dos Cátaros fosse algo mais espiritual ou de natureza documental, algum tipo de prova que justificasse seu tipo de fé. Já os Templários realmente eram os homens mais ricos do mundo, possuindo um enorme poder que era cobiçado pela Igreja. Membros destas sociedades teriam espalhado-se pelo mundo, fugindo da Inquisição, e encontraram acolhida especial na Escócia, país do Reino Unido, onde o Catolicismo não tinha influência. Ali, puderam aliar-se a pessoas influentes na Coroa, a membros da Ordem Rosa Cruz, e de uma certa sociedade secreta com passado relacionado a Construção do Templo do Rei Salomão, denominada Desenho Mágico ou Desenho Invisível, o que seria decisivo para a reestruturação de suas escolas em uma nova ordem que viria a ser conhecida como Maçonaria.
No livro A Iluminação Rosa Cruz, afirma-se que um dos maiores rosa-cruzes na Inglaterra foi John Dee (1527-1628), assessor e astrólogo da Rainha Elizabeth I. No entanto, o rosa-cruz mais importante de todos os tempos foi Sir Francis Bacon, que serviu no reinado de Elizabeth I no cargo equivalente a Ministro das Relações Exteriores e que também serviu ao rei Jaime I como Procurador Geral. Os maçons dão a Sir Francis Bacon o crédito de ser a fonte principal da Maçonaria, criando-a a partir da Sociedade Rosa-Cruz.
As motivações de Sir Francis Bacon para recriar as doutrinas rosa-cruzes em Maçonaria dariam-se ao fato de que a Sociedade Rosa-Cruz, na época, era claramente 'cristã' e não conseguiria unir com sucesso todas as religiões do mundo conforme seus objetivos secretos. Portanto, ele criou a Maçonaria, mais secularizada, aproveitando muita coisa da doutrina pagã da Sociedade Rosa-Cruz. Hoje, a Maçonaria está unindo o mundo, somente porque é neutra o suficiente para ser adaptada a todas as religiões existentes, de modo a trazer para seu seio membros influentes das mais diversas nacionalidades e crenças.

Original no site:

Um comentário:

  1. Só com a união e pensamentos livres das maldades podem melhorar o Mundo.

    ResponderExcluir

Seguidores

Visualizações nos últimos 30 dias

Visitas (clicks) desde o início do blog (31/3/2007) e; usuários Online:

Visitas (diárias) por locais do planeta, desde 13/5/2007:

Estatísticas